quarta-feira, 23 de fevereiro de 2011

".. o dinheiro não se come."

Quando a última árvore tiver caído, quando o último rio tiver secado, quando o último peixe tiver sido pescado, então entenderão que o dinheiro não se come.

Greenpeace

Sem comentários: